Os corredores do Hospital da Criança, em Goiânia, foi invadido de cães para ajudar na recuperação dos pacientes. Quinze animais foram levados para brincar e divertir as crianças internadas. O resultado da “terapia” é notório, dizem os médicos.

O infectologista Fernando Pessoa acredita que esta terapia diminui a ansiedade, a dor, acelera a cicatrização de feridas, estimula o sistema imunológico e traz até um conforto. A terapia tem reflexo imediato tanto nas crianças quanto nos voluntários. Alexandre Arroio participa do projeto com duas cadelas.

Denominado Projeto Projeto Super Visita, é um parceria do hospital com a Universidade Federal de Goiás (UFG) que as crianças internadas se encantam e tenha novas sensações com os animais.

Médico afirma que a visita dos animais de estimação diminui a ansiedade e estimula o sistema imunológico dos pacientes. Para voluntários, a experiência é gratificante.

Cães ‘invadiram’ os corredores do Hospital da Criança, em Goiânia, para ajudar na recuperação dos pacientes. Para médicos e pais, o resultado da “terapia” é notório.

“Diminui a ansiedade, a dor, acelera a cicatrização de feridas, estimula o sistema imunológico e traz um conforto”, afirma o médico infectologista Fernando Pessoa.

O Projeto Super Visita é um parceria do hospital com a Universidade Federal de Goiás (UFG). Quinze animais de estimação são levados para brincar com as crianças internadas.

Entre as pacientes está a Joice, que tem dois cães em casa, mas está longe deles devido ao tratamento. Ao ser questionada pela reportagem se a visita diminuiu a saudade dos bichos, a criança não teve dúvida: ‘Dá sim’.

A terapia tem reflexo imediato tanto nas crianças quanto nos voluntários. Alexandre Arroio participa do projeto com duas cadelas.

“Um pai relatou que a criança não levantava da cama porque estava mais prostrada ou triste por estar internada. Aí, quando viu um cachorrinho, a criança se levantou na hora, o pai se emocionou, foi muito bom. Já passamos por experiências muito bonitas e gratificantes aqui”, disse o voluntário.

Antes de iniciarem as visitas, os animais passam por exames clínicos e testes comportamentais. Uma das coordenadoras do projeto, a médica veterinária Kellen Oliveira pede que mais pessoas levem seus bichinhos para participarem do projeto.

“É uma forma de a gente poder mostrar para a sociedade a importância que tanto os cães quantos os gatos, os animais de estimação em si, têm”, afirma Kellen.