A história de Tanya Czernozukow ajudará a aumentar a conscientização sobre os cuidados que você precisa ter com os tipos de objetos de beleza no momento da depilação ou optar pela depilação.

Tudo começou em 2014, quando a jovem se cortou enquanto raspava uma das pernas, embora não desse muita importância. Tanya decidiu ignorar o pequeno corte e só se preocupou em evitar que ele sangrasse.

No entanto, seis meses após o incidente, a ferida foi transformada em um buraco na perna. O problema foi devido ao diabete não diagnosticado, que levou a uma úlcera que rapidamente se tornou uma ferida gangrenosa.

De acordo com a mídia inglesa ‘The Sun’, os médicos tentaram por 18 meses parar a infecção que continuava consumindo a perna agressivamente. Eles usaram antibióticos e até mesmo larvas de insetos para evitar que o dano se espalhasse ainda mais.

“Este foi um pesadelo absoluto. A ferida era do tamanho de uma pequena moeda, eu soltei na hora um ‘ai’ e continuei fazendo o meu trabalho “, disse ela. “Isso aconteceu muitas vezes antes e eu coloquei um pedaço de papel higiênico na ferida, esperando que parasse de sangrar como sempre fazia”, acrescentou.

Finalmente, em 2016, os médicos que a atenderam decidiram amputar a perna, com o risco de que a ferida fosse infectada e não fechasse. O risco era tão alto que Tanya ficou no hospital por cinco meses para controlar sua recuperação.

“Eu nunca senti uma dor tão terrível na minha vida”, disse ela. “Eu não raspo minha outra perna mais. Isso me assusta “, diz Tanya, que agora lentamente busca recuperar sua vida.

Após a operação, e o processo de recuperação, ela finalmente recebeu alta e teve que aprender a se mover, sentar e andar com ajuda de um bastão.

“Por mais estranho que pareça, não me arrependo nem um pouco da operação. Estou querendo voltar ao trabalho. Mentalmente, acho que estou quase lá. Esse é o próximo passo da minha vida.”

Outros casos como o de Tanya também já foram relatados, por isso todo o cuidado é pouco.

Veja também: